Defeito Capital da Gula

 SÉRIE DEFEITOS CAPITAS
 

Gula é o excesso em comer. Também é o desejo excessivo na vontade de comer. A gulodice teima em querer sempre mais, porque tal comida é apetitosa. A satisfação, no entanto, é sempre trivial. O prazer em apreciar sabores é instantâneo, dentro ou fora de hora, pouca ou sem nenhuma disciplina.

Recomenda-se que o comer deva ser diário e de hora a outra hora para garantia da saúde. Comer demais é ruim, comer excessivamente alimentos gordurosos, industriais também. O correto seria sempre fazer uso das frutas, verduras e grãos. O típico arroz e feijão não faze mal nem engorda. Contudo, o acompanhamento à moda brasileira sempre é, de alguma forma, com excesso de algum ingrediente que poderá prejudicar a saúde como, a carne gordurosa, o tempero, etc.

O dito acima não quer dizer que se deve evitar o alimento pesado. A carne bovina contém muitas propriedades saudáveis assim como vai conter o peixe, o pato, a galinha, o galo, os ovos, etc. A boa manutenção do corpo depende de seu alimento e, na cultura do nosso país descartar comer uma boa comida mineira, baiana, pernambucana ou ainda gaúcha é descartar o que há de melhor na nossa culinária. Digo isso porque nossa comida é rica em diversidade de sabores e cultura, herança europeia, africana e indígena. E é essa riqueza toda que pode causar grande tentação aos olhos.

Começa por pensar que comer tal ou tal comida seria ótimo. A vontade de saborear uma feijoada, diversificar no tempero, apreciar algo diferente. Nosso tempo ainda tem a presença dos alimentos industriais. Temos o MC Donald’s, o Habibs, Burguer King. No sábado e domingo pela noite as donas de casa já não querem cozinhar, as crianças querem sair, os jovens vão se embebedar e os que usam a droga da maconha sentem ainda mais fome. E tudo está ligado a um momento de prazer. A barriga estufa, o corpo pesa, a mente fica fadigada, a emoção triste e o comer demais dá espaço ao ócio.

Pensemos que a comida está ligada ao júbilo, à festa, ao divertimento, ao prazer e a tantas outras coisas quanto podemos imaginar. Quem quer emagrecer come salada, fruta, etc. Quem leva a sério a vida espiritual a ponto de cuidar muito bem do corpo por dentro se torna vegetariano ou mesmo um moderado apreciador de comida. Sócrates filósofo fazia uso dessa atitude. Comia pouco, somente quando lhe batia a fome e mesmo assim não dava espaço para gula, pois não pensava em comer. Para ele comer era natural, não existia uma vontade de diversificar nos sabores, simplesmente comer era manter o corpo em pé, sustentar seu estômago e em bom funcionamento da mente. Ora! Não existe certo ou errado no que se come, a não ser quando recomendado por médicos por causa da saúde. Cada país tem sua cultura de alimentos típicos, e cada um dá preferência ao seu estilo alimentar.

A comida precisa estar ligada a manutenção do corpo que necessita de propriedades para seu bom funcionamento. Mas a gula vem de muitos incentivos ocultos. Pode ser a propaganda na televisão, as cores que incitam à fome, as iguarias nos vidros dos restaurantes. Todas as vezes que estamos alegres precisamos comer. Faz parte da comemoração. O homem leva a pretendida ao restaurante para comer, o casal de namorados vai shopping passear e… comer. Quando queremos nos distrair, comemos. Ou seja, comemos para nos alegrar, para nos distrair, para passar um momento de ira, para aliviar a ansiedade, para saborear iguarias que nos incitam a comer exageradamente e fora de hora, para impressionarmos um companheiro/a. Comemos e bebemos para tudo. Esquecemos-nos de apreciar a comida no momento da fome para comermos logo. E o trabalho que nos torna apressados, estressados ou mesmo sem tempo a ponto de deixarmos um bom almoço para passar num barzinho e comer rapidamente uma coxinha. Estamos tanto sem disciplina que até mesmo o nosso alimentar está depreciado.

A gula, então, pode ter seu princípio na nossa vida desregrada e estressante. Pode ter seu princípio nos prazeres da diversão noturna. Pode ainda estar associada ao estresse, à depressão, à ansiedade, à decepção, à baixa autoestima, etc. Ou seja, tudo o que estiver fora de curso ou em desequilíbrio e que mexer profundamente com as emoções pode dar início à gula, isso se pensarmos que o comer sempre vai ser um refúgio. Um refúgio patológico para a depressão pode ser a comida ou a bebida alcoólica. A gula é o exagero no comer e no beber que vai indicar que alguma coisa está em desequilíbrio e que esse desequilíbrio foi causado por outro excesso ou por desenvolvimento progressivo de algo negativo. A gula é um defeito que não vai estar sozinho, sempre terá quem a acompanhe.

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s