Ser e Dever-Ser nas Normas Jurídicas

  • Por Fábio Ulhoa Coelho

Desde as primeiras lições, ao estudante de direito é apresentada a noção de que o conhecimento jurídico não tem por objeto o plano do ser, mas do dever-ser. A partir de elaborações filosóficas mais ou menos sofisticadas, como as da Teoria Pura do Direito de Kelsen (“o corte metodológico fundamental”), ou de meros e confortáveis recortes nos temas das aulas (“essa lei não é aplicada? Isso é um outro problema”), transmite-se a ideia de que o profissional da área tem de se preocupar apenas com a compreensão do padrão de comportamento preceituado pela norma jurídica. Pretende-se que o conhecimento jurídico sabe do mundo como ele deveria ser; isto é, o que ditam as leis e normas, cuja obediência generalizada faria plenamente harmoniosa a convivência em sociedade.

Nada mais equivocado. O tecnólogo e o profissional do direito, como o estudioso de qualquer outra área do conhecimento humano, têm por objeto de estudo o que existe e não o que deveria existir. Não é o mundo como ele deveria ser de acordo com o molde da ordem jurídica o campo de saber da doutrina, mas as relações sociais tais como realmente são. Quer dizer, não estudamos as normas postas, mas os conflitos de interesses manifestados nas relações sociais e as formas de sua superação. Leis e normas não são o modelo de como o mundo deveria ser, mas parâmetros que norteiam a superação institucional dos conflitos de interesses.


FONTE: Coelho, Fábio Ulhoa. Curso de direito civil, família, sucessões, volume 5 / Fábio Ulhoa Coelho. – 5. ed. rev. e atual. – São Paulo : Saraiva, 2012.

ÉTICA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Este artigo é parte de um trabalho meu do primeiro semestre de 2015 que fiz junto ao meu grupo da faculdade, baseado no filme brasileiro ÚLTIMA PARADA 174. A pedido da professora que leciona a matéria de Direito Administrativo.


infancia/estado/ética

ÉTICA E FILOSOFIA

O estudo da Ética foi iniciado racionalmente separando Filosofia e Religião pelos gregos, na trinca Sócrates, Platão e Aristóteles, mas já havia princípios éticos em sociedades antigas como no Egito, onde tudo era religioso, a conduta, a ciência e a política tratando eles tudo como parte integrante do cósmico. Os chineses trabalharam melhor sua ética com a cosmologia, assim como os hindus. E os judeus tinham seus princípios éticos nas tábuas da lei e na Torá.

A ética é separada da moral no que diz respeito a alguns temas:
• Ética: Princípios / Moral: Costumes
• Ética: Valores / Moral: Prática
• Ética: Universal / Moral: Cultural
• Ética: Indivíduo para consigo mesmo / Moral: Indivíduo para com a sociedade Read More